Áreas de Intervenção

Áreas de Intervenção

Educação

Sistema Integrado de Gestão e Aprendizagem

Escolas

Refeitórios Escolares

Sistema Integrado de Gestão e Aprendizagem

A Câmara Municipal de Odivelas (CMO), através da Divisão de Educação (DE), tem vindo a assegurar o fornecimento de refeições escolares, que assenta na promoção de uma alimentação variada, equilibrada e adequada às necessidades das crianças, através da disponibilidade de três refeições diárias (pequeno-almoço, almoço e lanche).

Ressalva-se a importância do papel da educação alimentar por parte da comunidade escolar e das famílias, a par do fornecimento de refeições de qualidade por parte da empresa fornecedora de refeições, no sentido de melhorar a aceitação e o prazer associado às ofertas alimentares saudáveis. Esta estratégia cria na criança uma motivação “extra” para experimentar e aceitar todos os alimentos que constam nas ementas escolares.

O município de Odivelas tem vindo a acompanhar o crescimento populacional e o progressivo aumento do número de alunos no concelho, através do desenvolvimento de medidas que promovam o sucesso educativo, o combate à exclusão social e escolar, não só através do fornecimento de refeições em si, mas também através da comparticipação das refeições às famílias tendo como referência o escalão de abono de família onde o agregado familiar se insere.

O valor das refeições para o ano letivo 2018/2019 encontra-se no quadro abaixo:

Escalão/tipo de refeição Pequeno-Almoço Almoço Lanche Total

Escalão A

€0,00 €0,00 €0,00 €0,00

Escalão B

€0,10 €0,73 €0,10 €0,93

Escalão C

€0,20 €1,46 €0,20 €1,86

* O valor do almoço é fixado, anualmente, por Despacho do Ministério da Educação. O valor das restantes refeições (pequeno-almoço e lanche) é definido pelo Executivo Municipal.

Consulte as Normas do funcionamento dos refeitórios 2018/2019

Ementas Escolares

As ementas escolares são elaboradas e aprovadas por um técnico de nutrição, de acordo com os princípios dietéticos e de segurança alimentar referenciados nos documentos normativos sobre alimentação nas escolas, emanados pelo Ministério da Educação, Direção-Geral de Educação.

São disponibilizados dois tipos de ementas escolares: a ementa geral e a ementa vegetariana.

As ementas encontram-se disponíveis para consulta neste site, nos estabelecimentos de ensino e na plataforma SIGA – 2E.

Para solicitar a ementa vegetariana, o encarregado de educação deverá preencher a ficha de sinalização para a dieta vegetariana (disponível abaixo), assegurando assim o fornecimento diário da mesma, não sendo possível alternar entre a ementa vegetariana e a ementa geral. O circuito de envio processa-se do mesmo modo que o circuito de envio de dietas específicas por motivos de saúde e/ou étnico-religiosos (ver abaixo).

Ficha de Sinalização - Alimentação vegetariana

Circuito do pedido de dietas específicas por motivos de saúde e/ou étnico religiosos

De acordo com o cumprimento do Regulamento Geral para a Proteção de Dados, a CMO procedeu à alteração do circuito do envio/entrega da ficha de sinalização de dietas específicas, que poderá ser feita por uma das seguintes vias:

Envio das fichas em formato digital, via e-mail:

A ficha de sinalização encontra-se disponível em formato digital na plataforma SIGA 2E e no site oficial da CMO, para impressão e preenchimento.

Após o preenchimento da ficha, o encarregado de educação deverá digitalizá-la, assim como a declaração médica por motivo de saúde ou a declaração de compromisso por motivos étnico-religiosos, e enviá-los para o seguinte e-mail: dietas.especificas@cm-odivelas.pt

Ficha de Sinalização - Dietas Específicas

Entrega das fichas em formato de papel, na CMO/DE:

Caso o encarregado de educação não tenha acesso aos meios de divulgação acima referidos, poderá dirigir-se à DE, Rua Laura Alves, nº 5 - piso 1 - Urbanização da Ribeirada, 2675-608 Odivelas, para preenchimento da ficha e entrega da declaração médica por motivo de saúde ou a declaração de compromisso por motivos étnico-religiosos.

Data de início do fornecimento da dieta

A dieta só será fornecida após articulação da CMO/DE com a empresa fornecedora de refeições e com o encarregado de educação, pelo que o encarregado de educação deverá aguardar o contato telefónico da CMO/DE.

Sistema de distribuição das refeições

Dependendo das condições estruturais específicas de cada escola, as refeições podem ser confecionadas e/ou preparadas localmente ou transportadas de outro refeitório escolar, estando acauteladas as questões de segurança alimentar da confeção, transporte e distribuição das refeições em ambas as situações.

Horário de Funcionamento

Pequeno - almoço - imediatamente antes do início da atividade letiva, de acordo com os horários do estabelecimento de ensino;

Almoço - entre as 11h:30m e as 14h:30m;

Lanche - a partir das 15h:30m (ou de acordo com o horário dos intervalos, estipulado pelo estabelecimento de ensino).

Vigilância e Monitorização

Para além das responsabilidades diretas que a empresa que fornece as refeições é obrigada a assegurar através do seu Sistema de Controlo de Qualidade, a CMO/DE faz uma monotorização de proximidade em articulação com as coordenações dos estabelecimentos de educação e ensino, com o objetivo de criar um sistema de vigilância e monitorização.

Sempre que exista uma situação não conforme na prestação do serviço de refeições, a mesma é imediatamente sinalizada pela escola à CMO/DE que, no âmbito das suas competências e atribuições e em conjunto com a empresa que presta o serviço de refeições, as avaliará e tentará ultrapassar de forma rápida e concertada.

Para além do acima referido realizam-se 3 tipos de visitas de monitorização ao serviço de fornecimento de refeições, sem aviso prévio:

- Visitas de monitorização efetuadas pelos técnicos da CMO/DE

- Visitas de monitorização de controlo microbiológico e nutricional, realizadas pelo Instituto Nacional de Saúde, Dr. Ricardo Jorge, em conjunto com os técnicos da CMO/DE;

- Visitas de monitorização efetuadas pelos técnicos da CMO/DE, em conjunto com as Associações de Pais e Encarregados de Educação.

Circuito de Comunicação

Os encarregados de educação que identifiquem inconformidades na prestação do serviço, ou que necessitem do esclarecimento de dúvidas, relativamente ao fornecimento das refeições, deverão dirigir-se, em primeira instância, à coordenação do estabelecimento de educação e ensino que articulará as questões suscitadas com a CMO/DE.

Caso o encarregado de educação pretenda solicitar esclarecimentos à CMO/DE poderá também fazê-lo através de email: geral@cm-odivelas.pt ou através de contacto telefónico 21 9320350.

Este circuito pretende ser um elemento facilitador da comunicação, procurando solucionar as anomalias existentes em tempo útil, preconizando estratégias proativas de atuação.

Diariamente somos confrontados com novos desafios e novas necessidades, que exigem um trabalho de cooperação e melhoria continua, e de uma comunicação assertiva entre todos os intervenientes (comunidade escolar e da CMO/DE), em prol de um melhor serviço.

Manual de Apoio ao Encarregado de Educação

FAQS

Em caso de falta de abastecimento de água, eletricidade ou gás, existe fornecimento do serviço de refeições (almoço de “recurso” – feijão frade e atum), exceto se o agrupamento de escolas decidir pelo encerramento do estabelecimento; neste último caso, não existe comparticipação da refeição aos alunos pela Câmara Municipal de Odivelas.

Não é igualmente permitida a guarda e conservação de alimentos vindos de casa (p.e. bolos de aniversário, entre outros) nos equipamentos de refrigeração das cozinhas; caso esta situação ocorra, a empresa e a Câmara Municipal de Odivelas declinam qualquer responsabilidade sobre o assunto.

Requerimentos

Ação Social Escolar

Serviços/Projetos

Cartão ODIKids

Cartão ODIKids

Programa da Atividade Física e Desporto na Escola

A Câmara Municipal de Odivelas aposta num desporto integrador, variado e abrangente de diferentes práticas e modalidades desportivas, contribuindo para uma formação multilateral de crianças e jovens. O modelo utilizado será o desportivo orientado à participação de todos, sendo um modelo que vai ao encontro do que está consignado na Carta Europeia do Desporto. Esta conceção de desporto visa a promoção da saúde, condição física e bem-estar e assume que todos os alunos têm acesso à prática de atividades físicas e desportivas.

Público – Alvo:

Alunos de jardim-de-infância e 1º ciclo das escolas da rede pública do concelho de Odivelas

Atividades desenvolvidas:

Ténis, Basquetebol, Voleibol, Corridinha da Primavera, Salto em comprimento, Salto à Corda, Corfebol, Ginástica, Boccia, Sarau Gímnico e Primeira Gincana.

Programa "Do Urbano ao Rural"

É um programa de gestão de visitas de estudo às instalações da Escola Profissional Agrícola D. Dinis – Paiã (EPADD), em funcionamento desde o ano 2000, mediante um protocolo de colaboração celebrado entre o Município de Odivelas e a EPADD.

Público – alvo:

  • Alunos de Jardim-de-infância e do 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico.
  • Famílias, comunidade envolvente e população em geral.

Atividades desenvolvidas:

São realizadas visitas ao sector de produção animal, que são complementadas com a realização de diversos ateliers:

  • Ateliers com materiais reciclados;
  • Ateliês de Sensibilização Ambiental;
  • Passeio de póneis/cavalos;
  • Oficinas Tecnológicas;
  • Coleção Visitável da EPADD-Paiã;
  • Parque dos Bichos;


Contacto: Programa do Urbano ao Rural

Programa Hipoterapia de Odivelas

Projeto inovador de Equitação Terapêutica/ Hipoterapia, que constitui um recurso terapêutico para alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE), em funcionamento desde o ano 2009, resultado de uma parceria entre a Câmara Municipal de Odivelas, Escola Profissional Agrícola D. Dinis, a Rodoviária de Lisboa e Ministério de Educação.

Público – Alvo:

  • Alunos com NEE que frequentam as Unidades de Ensino Estruturado de Autismo e de Apoio à Multideficiência das escolas da rede pública, do Concelho de Odivelas.

Atividades desenvolvidas:

  • Sessões semanais compostas por atividades lúdicos e didáticas, exercícios psico-motores, passeios a cavalo ao ar livre, enquadrados pelos conteúdos programáticos lecionados em contexto de escola;
  • Participação regular em provas de Equitação Terapêutica e Adaptada (Feira do Cavalo – Ponte de Lima, Special Olympics Portugal, etc.);
  • Organização do Encontro Anual Regional de Equitação Terapêutica, no Centro Hípico da Paiã no final de cada ano letivo, para demonstração das atividades desenvolvidas.

Projeto Arco Iris

Conscientes da importância dos valores que “não se ensinam”, mas que se vivenciam e que se aprendem na ação conjunta e nas relações com os outros, a Câmara Municipal de Odivelas (CMO), em parceria com os estabelecimentos de ensino pré-escolar da rede pública, desenvolve o Projeto Arco-íris - Promoção de Competências Pessoais e Sociais no Ensino Pré-Escolar.

Pretende desenvolver nas crianças um conjunto vasto e diversificado de comportamentos, de modo que, possam dispor de um maior leque de respostas, que se mostrem adequadas a cada situação do seu dia-a-dia. Aborda, em contexto de sala de aula, temáticas como o Autocontrolo, Emoções/ Sentimentos, Autoestima e Competências Sociais. É um projeto facilitador na gestão da sala de atividades, na compreensão e na intervenção em diversas problemáticas que as crianças demonstram no quotidiano.

Público – Alvo:

Crianças que frequentam o ensino pré – escolar da rede pública do concelho de Odivelas.

Atividades desenvolvidas:

  • Histórias com Cor – conto de uma história em contexto de sala de aula;
  • Jogo da Cidade Arco – Iris – jogo em tamanho real, no qual os peões são as próprias crianças; Ida ao Teatro– dramatização de uma peça de teatro sobre A Cidade Arco – Iris.

Projeto Ser Seguro

Profundamente enraizado e consolidado no Concelho de Odivelas, o Projeto SerSeguro e as suas metodologias vão de encontro ao seu objetivo central: a formação de cidadãos conscientes e responsáveis na mobilidade rodoviária, para que a redução da sinistralidade infantil seja uma realidade.

O Projeto incide em três grandes áreas: formação do aluno, sensibilização da comunidade educativa e implementação de uma ação concertada local entre as entidades.

Público – Alvo:

Alunos do ensino pré –escolar e 1º ciclo das escolas públicas do concelho de Odivelas.

Ações desenvolvidas:

1º Ciclo
O Plano de Ação do SerSeguro para este nível de ensino consiste na formação do aluno ao longo do ano letivo, nas várias vertentes da temática da Segurança e Prevenção Rodoviárias, nomeadamente sessão teórica em contexto de sala de aula, sessão em pista realizada na Escola Fixa de Trânsito de Odivelas, o treino de competências em ambiente rodoviário e a formação prática do aluno enquanto passageiro de transporte público.

Pré-Escolar
Para iniciar a consciencialização rodoviária o mais cedo possível, o Projeto alargou o seu âmbito ao pré – escolar com a atividade O Fantástico Mundo do Ser Seguro, que consiste na dramatização de uma peça de teatro sobre as regras da segurança rodoviária.

Projeto SEI! Odivelas

Surgiu, em 2010, o Projeto SEI! Odivelas (Projeto para o Sucesso Educativo e Integração), que teve como objetivo abranger os principais projetos educativos, nomeadamente a Mediação Escolar (2.º e 3.º Ciclo do Ensino Básico) e os Gabinetes de Apoio Psicológico (Jardim-de-Infância e 1.º Ciclo do Ensino Básico).

A missão do Projeto SEI! Odivelas é promover o sucesso escolar e a integração social, prevenindo os fenómenos de abandono e absentismo escolar, os comportamentos de risco e a exclusão social de crianças que frequentem os Jardins de Infância, 1.º Ciclo do Ensino Básico e jovens que frequentem os 2.º e 3.º Ciclos do Ensino Básico da rede de escolas públicas do Concelho de Odivelas.

As principais estratégias de intervenção do Projeto “SEI! Odivelas” são o acompanhamento de proximidade, através de uma equipa multidisciplinar que desenvolve o seu trabalho no terreno, intervindo de forma direta com as crianças, jovens e as suas famílias, procurando identificar situações que possam comprometer o processo de aprendizagem escolar, o desenvolvimento cognitivo, afetivo e social; e estratégias universais que abrangem pequenos e grandes grupos da comunidade educativa, nomeadamente ações de sensibilização com Professores, Assistentes Operacionais, Encarregados de Educação, entre outros.

E-books:

FAQ,s

Conhece a Ação Social Escolar desenvolvida no Concelho?

Traduz-se na implementação de apoios sócio-educativos, que promovam a igualdade de oportunidades no acesso à escola e no combate às diversas formas de exclusão social e escolar, criando condições para a realização de aprendizagens significativas por parte de todos os alunos.

  • Auxílios Económicos - Atribuição de um subsídio para a aquisição de livros e material escolar, destinado aos alunos carenciados que frequentem o 1º Ciclo do Ensino Básico;
  • Suplemento Alimentar - atribuição de um subsídio, para complemento alimentar diário, destinado aos alunos carenciados do Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico que frequentem estabelecimentos de ensino sem refeitório escolar a funcionar;

Refeitórios Escolares

O fornecimento do serviço de refeições nos estabelecimentos de ensino, do 1º Ciclo do Ensino Básico e Pré-Escolar da rede pública do concelho, visa assegurar uma alimentação equilibrada e adequada às necessidades da população escolar, a satisfação de carências alimentares básicas e representa uma aposta na melhoria da qualidade do ensino.

  • Condições de Acesso - Todos os alunos que frequentem os estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e Jardins de Infância da rede pública, com serviço de refeição, independentemente da condição sócio-económica dos seus agregados familiares.

Escalões:

Por deliberação da Câmara Municipal de Odivelas, existem 3 Escalões, que determinam o preço diário da refeição a pagar pelos alunos, definidos com base no Despacho Normativo do Ministério da Educação, que anualmente procede à harmonização das formas de cálculo da capitação e atualização do preço das refeições para o 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico:

  • Escalão A - Alunos ultra carenciados (em situação de risco social), alunos cujas famílias são ausentes ou revelam indicadores de negligência capazes de colocar em risco a saúde da criança, independentemente do seu rendimento per capita;
  • Escalão B - Alunos carenciados - alunos cujo rendimento per capita da família seja inferior ou igual ao valor, referenciado no Despacho do Ministério da Educação a publicar anualmente;
  • Escalão C - Alunos não carenciados - alunos cujo rendimento per capita da família seja superior ao valor, referenciado no Despacho do Ministério da Educação a publicar anualmente.

Comparticipação:

A Câmara Municipal de Odivelas comparticipa a diferença entre o custo real da refeição e o preço a pagar pelos alunos dos Escalões A e B e comparticipa na totalidade (100%) o preço da refeição dos alunos abrangidos pelo Escalão C

Transportes Escolares

Segundo o Decreto-Lei 299/84, de 5 de setembro, é da competência da Câmara Municipal de Odivelas a oferta de serviço de transporte entre o local de residência e o local dos estabelecimentos do Ensino Básico e Secundário, oficial ou particular e cooperativo com contrato de associação e paralelismo pedagógico, quando residam a mais de 4 ou 3 Km dos estabelecimentos de ensino, respetivamente com ou sem refeitório, segundo os seguintes critérios:

  • Alunos do Ensino Básico, Secundário e Profissional que frequentam a escola mais próxima da área de residência;
  • Alunos que frequentam a escola fora da área de residência, por falta de vaga, área de estudo ou curso na escola mais próxima de residência.

Por opção da Câmara Municipal de Odivelas é também atribuído Transporte Escolar aos:

  • Alunos do Ensino Básico, Secundário e Profissional, abrangidos pelo SASE e que efetuem percursos de risco no acesso à escola, independentemente da distância;
  • Alunos de Ensino Básico, Secundário e Profissional portadores de deficiência que independentemente da idade, frequentem a escola regular ou instituições de ensino especial, desde que não tenham outro apoio em transporte.

Apoios Concedidos:

  • Segundo a Portaria 181/86, de 6 de maio, os alunos fora da escolaridade (que frequentam o Ensino Secundário ou com idade superior a 15 anos), que se encontram à distância regulamentar, o custo do transporte escolar é comparticipado em 50%;
  • Os alunos do Ensino Básico, nas mesmas condições têm uma comparticipação a 100%;
  • Por opção da Câmara Municipal de Odivelas, os alunos do Ensino Básico, Secundário e Profissional abrangidos pelo SASE, independentemente da distância regulamentar, e portadores de deficiência, desde que não apoiados pela escola, têm uma comparticipação de 100%.

Parcerias:

  • As Juntas de Freguesia no processo organização de candidatura e de pagamento do subsídio de transporte às famílias, para os alunos que frequentam escolas fora do concelho;
  • As Escolas no processo de organização de candidaturas e requisição das senhas de transporte, para alunos que frequentam escolas dentro do concelho.

Conhece o Projeto SEI! Odivelas (Projeto para o Sucesso Educativo e Integração)?

O que quer dizer Projeto SEI?
Projeto para o Sucesso Educativo e Integração


Em que Escolas do Concelho de Odivelas está o Projeto SEI?
Em todas as Escolas Públicas do Concelho com 2º e 3º Ciclo (inclusive Secundárias) através da Medição Escolar e nas escolas de ensino pré-escolar e 1º ciclo dos Agrupamentos de Escolas dos Moinhos da Arroja, da Pontinha, da Póvoa de Sto Adrião e de Caneças (consideradas zonas de intervenção prioritária), através dos Gabinete de Apoio Psicológico locais.


Quais os níveis de escolaridade onde se encontra o Projeto SEI?
Do pré-escolar ao 3º ciclo.


Qual a População Alvo do Projeto SEI?
Embora sejam os alunos, o Projeto trabalha com todos os agentes que intervêm no processo educativo das crianças e jovens (família, professores, rede social, entre outros)


A intervenção do Projeto SEI é individual ou em grupo?
Pode ser individual, em grupo ou os dois em simultâneo, dependendo das estratégias delineadas especificamente para cada caso.


Como Encarregado de Educação posso assistir às Oficinas do Projeto SEI? Quem devo contatar?
Se o seu educando frequenta escolas do Projeto SEI sim. São ainda dinamizadas ações de sensibilização municipais gratuitas e abertas a todos os munícipes. Para mais informações estão disponíveis os seguintes contatos: tel. 219320359; emails projeto.sei@cm-odivelas.pt ou nucleoformacao.sei@cm-odivelas.pt


Qual a formação dos Técnicos dos Gabinetes de Apoio Psicológico?
Psicólogos clínicos e educacionais com formação e experiência especializada em avaliação e acompanhamento psicológico de crianças.


Que tipo de intervenção escolar fazem os Gabinetes de Apoio Psicológico no pré-escolar e no 1º ciclo?
Avaliação, Acompanhamento Psicológico de crianças e Encaminhamento para serviços especializados.


Quais os critérios que os alunos têm que cumprir para avaliação/acompanhamento de alunos nos Gabinetes de Apoio Psicológico?
Dificuldades de aprendizagem, problemas emocionais, sociofamiliares e problemas psicológicos e relacionais.


Os Gabinetes de Apoio Psicológico realizam provas de diagnóstico pré-escolar antes dos meninos entrarem no 1ºciclo?
Sim, desde que as crianças frequentem Escolas onde se encontre o Projeto.


Qual a formação dos Técnicos da Mediação Escolar?
Licenciados nas áreas das ciências sociais e humanas.


Que motivo(s) levam os alunos a serem sinalizados para acompanhamento do Projeto SEI?
Retenções reiteradas, incumprimento dos compromissos escolares, concentração, relação social e comportamento, problemas emocionais e familiares, linguagem e comunicação.


Existe intervenção individual com os alunos do Projeto SEI?
Sim, se os alunos cumprirem os critérios de acompanhamento, as sessões individuais traduzir-se-ão no acompanhamento emocional, social, familiar e escolar.


Que tipo de intervenção é feita em grupo/turma?
Sessões sobre a dimensão escolar como os “Métodos de Estudo” e “Preparação para os Exames”, mas também de dimensão comportamental e emocional como o “Sei dizer não à Violência” ou o “Sei Sentir”.


E nos casos onde é necessário um acompanhamento clínico?
Estes alunos são encaminhados para acompanhamento clínico especializado (por ex. hospitais), mediante a realização de um relatório.


Quando os alunos são sinalizados para o projeto SEI as famílias ficam de fora?
Não. Uma das premissas do projeto SEI é a família ser envolvida em todo o processo de desenvolvimento da criança/jovem desde o primeiro momento.

Sabe como é efetuada a Gestão da Rede Escolar?

Lei 159/99 de 14 de setembro

Planeamento, construção, adaptação, manutenção e apetrechamento de infraestruturas educativas do Pré-Escolar e do 1º Ciclo do Ensino Básico da Rede Pública, garantindo as condições de ensino através de:

  • Investimento no parque escolar (construção, ampliação e remodelação)
  • Garantir o acesso e a integração de crianças com necessidades educativas especiais em meio escolar: adaptação/adequação de instalações; mobiliário e equipamento especial; abolição de barreiras arquitetónicas;
  • Colocação de mobiliário escolar e equipamento de informação e comunicação (material audiovisual, faxes e fotocopiadoras)
  • Manutenção e assistência técnica aos equipamentos
  • Subsídio de Material Didático
  • Subsídio de Fundo Maneio
  • Subsídio de Telefone

Gestão de Recursos Humanos

  • Colocação de Auxiliares e Assistentes de Ação Educativa no Pré-Escolar - Assinatura anual do Acordo de Cooperação com a Direção Regional de Educação de Lisboa, Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Lisboa, para colocação e gestão do pessoal auxiliar.
  • Promover formação específica, do Pessoal não docente do Pré-Escolar que contribua para capacitar e dotar estes profissionais de estratégias e meios, para intervir de forma mais adequada em contexto educativo e melhorar os serviços de apoio à família.

Carta Educativa

Para dar cumprimento ao decreto-lei 7/2003 de 15 de janeiro constitui-se em 2003, por Despacho do Presidente da Câmara Municipal de Odivelas, um Grupo de Trabalho Interdepartamental para elaboração da Carta Educativa do Concelho de Odivelas.

A Carta Educativa encerra um duplo registo. Enquanto produto, traduz-se num documento temporalmente finalizado, enquadrador de uma Política Educativa Concelhia, sustentado por um Projeto Educativo Local amplamente participado. Às vezes ele é chamado. Enquanto processo, assume-se como em permanente construção e reinvenção, uma dinâmica pró-ativa em torno de uma federação de ações e projetos rumo a uma identidade localmente construída (balizada por normativos legais), numa atualização constante dos processos, recursos e metodologias mobilizadas dentro do sistema educativo local.


Contactos e Horários: Divisão de Educação

Está em... Entrada Educação